Dica Cultural: Thiago Granato apresenta o solo ” Trança” no SESC Santos.

unnamed
Trança é um convite ao público para uma jornada onde a sensação do tempo e do espaço são dissociadas na medida que o movimento percorre o seu caminho. Através de uma coreografia das mãos, Thiago Granato acelera processos de transformação onde diferentes forças são traduzidas em signos que possibilitam a percepção de novas trajetórias, promovendo uma investigação sobre o poder do corpo em criar contextos onde ele possa habitar, comunicar, transitar e se reinventar.
Concepção, direção e performance: Thiago Granato
Assistente de direção: Sandro Amaral
Coreógrafos convidados: Cristian Duarte e João Saldanha
Criação de luz: André Boll
Trilha sonora: Márcio Vermelho
Consultoria de figurino: Paula Ströher
Registro em fotografia: Renato Mangolin.
Registro em vídeo: Leo Nabuco.
Produção: Sandro Amaral, Thiago Granato e Expressão Criação e Produção Cultural
Duração: 50 min.
Classificação: 12 anos
Thiago Granato é performer e coreógrafo brasileiro que vive e trabalha entre o Brasil e a Alemanha. Seus trabalhos como coreógrafo foram apresentados em diferentes países, como Brasil, Israel, Espanha, Áustria, Alemanha, Suécia, Noruega, Itália, França, Romênia, Líbano e Coréia. Entre eles estão PLANO B (2008), We are not superficial, we Love penetration (2008), Tombo (2009), Basement (2011), This is Concrete (2012) e Treasured in the Dark (2015).
De 2000 a 2013 trabalhou com artistas tais como: Simone Mello, Adriana Grechi, José Celso Martinez Corrêa, Lia Rodrigues, João Saldanha, Laura Samy, Cristina Moura, Mariana Lima, Enrique Diaz, Neto Machado, Cristian Duarte, Thelma Bonavita, Mathilde Monnier, Sandro Amaral, Enora Riviére, Cecília Bengolea, Lenio Kaklea, Jefta van Dinther e Frédéric Gies.
Participou do programa de pesquisa, ensino e criação Ex.e.r.ce 8, coordenado pelo coreógrafo Xavier Le Roy, no Centre Chorégraphique National de Montpellier(França).
Foi professor de dança no Estúdio Nova Dança (Brasil), e também nas cias. de Dani Lima, Déborah Colker, João Saldanha, Gustavo Ciríaco (Brasil), Cullbergbaletten (Suécia), e também na DOCH – University of Dance and Circus (Estocolmo/Suécia).
Durante os anos de 2013 e 2014 foi bolsista da Akademie Schloss Solitude (Alemanha) onde desenvolveu seu atual projeto COREOVERSAÇÕES que consiste na produção de uma série de solos construídos a partir de conversas entre diferentes coreógrafos que usam o corpo de Thiago como meio de comunicação.
Em 2015, foi artista residente do Les Recollets em Paris (França).
Contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *