Seis dicas fundamentais para quem quer vender em bazar

Todo mundo que comercializa seus produtos – mais dia, menos dia – sente a necessidade de participar de um bazar. É algo completamente diferente de vender pela internet, assim como também não é a mesma coisa do que vender para amigos, família e vizinhos.
Participar de um bazar é o mais próximo que alguém pode chegar da experiência de ter a sua própria loja. Parece bom? Antes de se empolgar e embarcar com tudo na ideia, vale a pena considerar algumas questões práticas, que vão ser fundamentais para o seu sucesso.
Primeiro ponto: pense grande. Não em termos de quantidade, mas de possibilidades. Não se deixe prender por ideias antiquadas ou datadas. Se você vai ter a chance de estar em um bazar badalado, precisa mostrar produtos que realmente se destaquem, que façam com que a sua marca seja lembrada facilmente. Por outro lado, se o seu primeiro bazar for um mais modesto, aproveite para aprender e tirar o máximo da experiência. Ouse, reserve um pedacinho do stand para aquilo que você sempre sonhou fazer e ainda não faz.
Segundo ponto: faça cada centímetro render. Um stand de bazar nunca é grande o suficiente. Então, seja criativo e aproveite para promover suas peças com elas mesmas. Organização, um pouco de treino em casa e boas ideias podem salvar o seu dia. Nunca, de maneira alguma, deixe para montar o stand na última hora. Faça testes em casa e chegue no lugar do evento tendo certeza de que tudo vai poder ser exposto como você imaginou.
Terceiro ponto: invista no visual. Como em quase tudo na vida, na hora de vender num bazar, a primeira impressão conta muito. De longe, quando o público enxergar um stand bonito, atraente e organizado, é para lá que ele vai querer ir primeiro. Crie um backdrop para colocar atrás de você. Pode ser uma cortina de patchwork, de crochê ou de fitas penduradas, pode ser uma colagem, pode ser até mesmo um monte de balões formando uma espécie de parede. O que vale é escolher algo que tenha a ver com os seus produtos. Depois, desenvolva o resto do stand casando com o backdrop.
Quarto ponto: pense no merchandise. Mesmo que a pessoa não compre naquele bazar, ela pode ficar interessada e querer comprar no futuro. Tenha cartões, folhetos, pequenos mimos – bonitos, interessantes e de qualidade – para oferecer. Mas preste atenção em uma regra básica: não deixe todo seu material de divulgação exposto. Mantenha apenas um pouquinho em cima da mesa e esconda o resto. A divulgação não pode tomar o espaço precioso dos produtos e deve estar ali como apoio para o seu trabalho de relações públicas.
Quinto ponto: pesquise muito antes de ir para o bazar. Você precisa conhecer o seu público e trabalhar o espaço para vender AOS SEUS CLIENTES e ao PUBLICO ESPONTÂNEO que vai ao Bazar mas ainda não conhece sua marca. Não ache que e obrigação apenas do produtor do evento levar publico .VOCÊ TEM OBRIGAÇÃO de levar sua clientela ao evento já que não possuem loja física e utiliza o bazar como o seu ponto de vendas.
Sexto e último ponto: planeje o transporte das peças, principalmente se você trabalha com coisas sensíveis. Pense nos materiais, em como precisam ser expostos e em como deve ser levados até o local do bazar e também como vão ser carregados por quem comprar as peças. Esse ponto é crucial também no momento de definir o seu espaço de trabalho no bazar.
Por fim, pense no bazar como sendo uma grande festa. Você deve se preocupar, pensar e planejar tudo de antemão. Tudo deve estar pronto com antecedência. Porque, no dia do evento, você vai ser o anfitrião. Sua única preocupação, então, tem que ser com o cliente. Tenha sempre um sorriso no rosto, palavras gentis e toda a educação do mundo. Você está ali para ajudar, para bater papo e para mostrar o melhor que tem para oferecer.
Fonte : aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *